• TERTULIANDO GASTÃO CRUZ

    O actor Paulo Moreira aceitou o desafio de ler Poesia de Gastão Cruz na Biblioteca da Fundação Manuel Viegas Guerreiro. A tertúlia realizada no passado dia 29 de Setembro cumpriu o desígnio de revisitar a obra e os ensinamentos do escritor, tradutor, ensaísta e encenador distinguido no âmbito do 3.º Festival Literário Internacional de Querença.

    A sessão foi também participada por Paulo Pires, autor de um dos ensaios que integra a mostra, a par de textos da autoria de Lídia Jorge e António Carlos Cortez.

    Paulo Moreira passa agora o testemunho à escritora e encenadora Luísa Monteiro que estará na Biblioteca da FMVG para apresentar a sua selecção de poemas de Gastão Cruz no dia 27 de Outubro, o último sábado do mês, pelas 18H. A tertúlia realizar-se-á na Biblioteca da FMVG, onde está a patente a exposição Palavras somos nós.

    Esperamos por si!

    Querença, 10 de Outubro de 2018
  • TERTULIAR EM TORNO DA POESIA DE GASTÃO CRUZ

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro prepara-se para estrear uma série de três Tertúlias no último sábado dos meses de Setembro, Outubro e Novembro.
    Invocar-se-á a poesia de Gastão Cruz, escritor, tradutor, ensaísta e encenador distinguido no âmbito do 3.º Festival Literário Internacional de Querença, onde o homenageado recebeu a Medalha de Mérito Cultural atribuída pelo ministro da Cultura, o embaixador Luís Filipe de Castro Mendes. Com estas tertúlias pretende-se revisitar a obra de Gastão Cruz tendo como pano de fundo a exposição Palavras somos nós, inaugurada no dia 4 de Agosto e que integra textos de Lídia Jorge, António Carlos Cortez, Paulo Pires e toda a bibliografia do autor, num tributo organizado pela Câmara Municipal de Loulé e a Fundação MVG.
    O desafio à Leitura foi lançado ao actor Paulo Moreira, à escritora e encenadora Luísa Monteiro e ao “dizedor” de poesia Afonso Dias. A primeira sessão acontece no próximo dia 29 de Setembro, sábado, pelas 18h00, na Biblioteca da Fundação MVG, Querença.
    A tertúlia de encerramento será antecedida por uma sessão que aliará Palavra e Património. Organizada por Sandra Boto, investigadora da Universidade do Algarve, terá como oradores convidados Pedro Ferré, João Minhoto Marques e Ana Morão, numa estreita colaboração com o CIAC, Centro de Investigação em Artes e Comunicação da UAlg. 
    Querença, 20 de Setembro de 2018
  • FLIQ 2018, O DIA SEGUINTE

    TRÊS DIAS INTENSOS DE CULTURA E AFECTOS EM QUERENÇA

    O FLIQ 2018 – Festival Literário Internacional de Querença, que este ano teve como tema “Literatura e Ilustração”, trouxe uma vez mais a Querença, uma pequena aldeia do concelho de Loulé, nomes maiores da cultura em Portugal. Não só escritores e poetas como Lídia Jorge, Nuno Júdice ou Gastão Cruz – poeta homenageado este ano – mas também cartunistas e desenhadores nacionais e internacionais como a portuguesa Cristina Sampaio, a venezuelana Rayma Suprani e a belga Cécile Bertrand. Este ano, o Festival dedicou parte da sua programação a Tóssan. António Fernando Santos, nascido em Vila Real de Santo António (1918-1991), destacado desenhador e ilustrador algarvio, responsável entre outras obras pelo cartão da tapeçaria do salão nobre da Procuradoria-Geral da República, em Lisboa, fundador do suplemento juvenil do Diário de Lisboa e também cenógrafo do Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra.
    A terceira edição do FLIQ em Querença contou com a participação especial do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, que se deslocou à aldeia e à Fundação Manuel Viegas Guerreiro (FMVG), a fim de homenagear pessoalmente o poeta Gastão Cruz, entregando-lhe a Medalha de Mérito Cultural. Gastão Cruz, nascido em 1941, é hoje um dos principais poetas contemporâneos devido à forma rigorosa, sintética e plena de reflexão com que ‘tece’ as suas obras.
    O Festival contou ainda com a presença da escritora Lídia Jorge, António Carlos Cortez (poeta e crítico literário), Miguel Casado (poeta e crítico literário espanhol), Luís Vicente (diretor artístico de A Companhia de Teatro do Algarve), Mário Avelar (professor universitário) e Nuno Bicho, arqueólogo que fez uma apresentação sobre slides do patrono da Fundação, Manuel Viegas Guerreiro.
    Ao palco exterior à Fundação subiu o concerto “4 Mãos”, um dos momentos altos do Festival, no sábado, protagonizado pelo pianista Filipe Raposo e pelo desenho digital em tempo real de António Jorge Gonçalves, projetado em uma das fachadas da FMVG. Um outro ponto alto foi a presença de um quinteto da Orquestra de Jazz do Algarve, liderada pelo trompetista Hugo Alves, com temas de influência afro-latina, inspirados pelas incursões de Manuel Viegas Guerreiro em África e a presença da harpa e voz de Helena Madeira, no auditório da Fundação, que constituiu um outro momento de elevação e beleza do cartaz.
    O FLIQ 2018 acolheu e promoveu ainda a presença do programa “Todas as Palavras”, da Radiotelevisão Portuguesa, que terá uma edição especial em torno de Gastão Cruz e do evento em Querença, a emitir no dia 1 de Setembro, às 18h30 na RTP3.
    A sessão de encerramento, sobre Património Cultural, esteve a cargo do Administrador Executivo da Fundação Calouste Gulbenkian e comissário do Ano Europeu do património Cultual, Guilherme d’Oliveira Martins.
    FOTO: Vítor Pina | NA FOTO: Rayma Suprani, cartunista 

    Querença, 6 de Agosto de 2018

  • NEWSLETTER DE JUNHO "NAS BANCAS"

    Na newsletter de Junho da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, destaque para a homenagem do Município de Loulé ao "Engenheiro das Letras", Luís Guerreiro, anterior presidente da FMVG falecido em 2017.
    Desaguou no passado dia 16 de Maio o projecto de formação de professores que, este ano lectivo, envolveu cerca de 500 alunos de vários agrupamentos de escolas dos concelhos de Loulé e São Brás de Alportel. A FMVG foi o palco escolhido para a apresentação de H2O Poupa-me!
    Também nesta edição: a Biodiversidade de Querença no séc. XIX e os últimos eventos na Fundação, que podem ser descobertos aqui.
    Querença, 5 de Junho de 2018
  • INVENTARIAÇÃO DE ESPÓLIO MVG EM MARCHA

    A inventariação e o tratamento do espólio de Manuel Viegas Guerreiro, patrono da Fundação de Querença, é tema de destaque da edição de Maio da newsletter da FMVG.
    Também digno de nota positiva, o valor das parcerias na concretização de sonhos e de uma sociedade mais equitativa e livre. 
    Já pode ler aqui, no n.º 13. 
    Querença, 7 de Maio de 2018
  • COLORIR ABRIL

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro celebra o 44.º aniversário do 25 de Abril na próxima quarta-feira, feriado nacional.
    Em tom de proximidade junto da comunidade de Querença e envolvente, a data será assinalada com a tertúlia “Conversas Informais”. Do painel farão parte Gabriel Gonçalves, presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro (FMVG), Nelson Dias, consultor do Banco Mundial, Ivone Silva, educadora, Luís Barriga, escritor, Daniela Rodrigues e Maria Teixeira, alunas do 11.º e 12.º anos na Escola Secundária de Loulé. A moderação estará a cargo de José Dantas, presidente da Associação Cívica Tomaz Cabreira.
    Que peso tem para os jovens a memória da Ditadura, da Revolução e do Período Pós-Revolucionário? Os valores da Liberdade e da Participação Cívica estão a ser transmitidos da melhor forma? Que construções são ainda possíveis, no séc. XXI, a partir dos valores da Revolução? Estes são alguns dos temas que se pretende pensar em voz alta.
    A partilha de pensamento, valores e experiências far-se-á também ao longo da manhã através de “Pinturas entre Culturas”, com a presença de pequenos e graúdos de várias nacionalidades; inauguração do núcleo de Querença da exposição de fotografia “Graffitis e cartazes do PREC – Período Revolucionário em Curso de 25 Abril de 1974 a 1977”, de Diogo Margarido; e um almoço-convívio no restaurante “Tasquinha do Lagar”, mediante pré-inscrição (através do Tel. 289 422 607 ou do email fundacao.mvg@gmail.com, indicando número e nome de pessoas interessadas).
    As actividades terão acesso livre e irão decorrer junto à sede da FMVG, sita em Querença, a 10 kms de Loulé, conforme o Programa.

     

    Organização: Fundação Manuel Viegas Guerreiro, Associação Cívica Tomaz Cabreira, Dulce Margarido e Biblioteca em Gambelas da Universidade do Algarve.
    Parceiros: Fundação António Aleixo (Projecto Loulé sem Fronteiras).
    Apoio: União de Freguesias de Querença, Tôr e Benafim, Câmara Municipal de Loulé e Maryflor Florista.
  • ARTE, A MAIOR MARCA DA HUMANIDADE

    A Newsletter n.º 12 já está disponível em suporte digital. Abril em Querença é sinónimo de partilha de experiências, de histórias da Revolução e traço livre, ao ar livre! Visite-nos e traga a sua imaginação. Nós tratamos das telas e dos pincéis.
    O 12.º Encontro de Genealogistas do Algarve vai realizar-se no auditório da Fundação MVG e prevê a participação de mais de 30 genealogistas. Não deixe de consultar este e outros eventos aqui
    Que os ventos de Abril vos encontrem.
    Querença, 9 de Abril de 2018
  • EDIÇÃO DA PRIMAVERA

    Porque Março é o mês da Primavera, a edição n.º 11 da newsletter da Fundação Manuel Viegas Guerreiro veste-se de verde para fazer um balanço do projecto do Percurso Eco-Botânico Manuel Gomes Guerreiro (ecologista e primeiro reitor da Universidade do Algarve) e, alargando a paleta de cores, divulgar os ateliers de artes plásticas que têm sido uma constante desde o início do ano.
    Mais para descobrir aqui.
  • A HERANÇA que queremos guardar

    A newsletter de Fevereiro da FMVG já está online.
    A candidatura da Festa em Honra de S. Luís de Anjou, realizada em Querença, a parceira com Loulé Cidade Educadora e o novo membro do Conselho de Administração da Fundação merecem destaque na edição n.º 10.
    Se quiser receber a publicação através do seu email ou em suporte físico bastará solicitá-lo através de fundacao.mvg@gmail.com.
    Para já, propomos uma leitura mais atenta aqui.
    Querença, 6 de Fevereiro de 2018
  • NEWSLETTER n.º 9 | JANEIRO

    Já em suporte papel, a primeira edição de 2018 da newsletter da FMVG inclui uma mensagem do novo presidente da Instituição, Eng.º Gabriel Guerreiro Gonçalves e inaugura um olhar sobre os projectos que têm vindo a ser desenvolvidos em Loulé pelos diferentes organismos, associações e entidades públicas e privadas ligados na plataforma Loulé Cidade Educadora. Trabalham em rede e em nome de um Município cada vez mais solidário, intercultural, criativo e em sintonia com o seu património, naquele que é o Ano Europeu do Património Cultural. Neste número, destaque ainda para as formações a decorrer no espaço da Fundação.
    Com os Votos de um Ano Próspero de valorização patrimonial, siga-nos aqui. Se pretender receber a newsletter da FMVG na sua caixa de correio electrónico bastará enviar-nos um email com esse pedido. Para coleccionadores, envie o seu melhor endereço que faremos chegar a versão impressa.
    Querença, 18 de Janeiro de 2018
  • "TRL: UMA PAISAGEM DE MIM" continua em Querença

    A mostra Teresa Rita Lopes: Uma paisagem de mim, encontra-se patente na Fundação Manuel Viegas Guerreiro até dia 30 de Março.
    O prazo foi prolongado devido ao interesse demonstrado por todos os que têm visitado a exposição que homenageia o percurso da escritora algarvia.
    Teresa Rita Lopes tem elevado e difundido além-fronteiras a obra pessoana. Investigadora e ensaísta, iniciou uma colecção de sete volumes da poesia e ficção de Fernando Pessoa com a chancela da editora brasileira Global. A Livro(s) do Desassossego (2015) seguiu-se Vida e Obras de Alberto Caeiro, lançado em primeira mão em Querença, em Maio de 2017. O terceiro volume: Vida e Obras de Ricardo Reis encontra-se no prelo.
    Desde o seu regresso do exílio em Paris, em 1976, que dirige, como professora da Universidade Nova de Lisboa, uma equipa de estudiosos sobre Pessoa e os modernistas, o IEMO. É também autora de oito livros de poesia, estando Cicatriz traduzido para espanhol e francês. Há antologias dos seus poemas em italiano, francês, espanhol e catalão.
    Autora de contos e textos para teatro, recebeu vários prémios e consagrações, incluindo o “Prémio de consagração” da Sociedade Portuguesa de Autores, em 2011. É membro efectivo da Academia das Ciências de Lisboa.
    A exposição que narra o notável percurso de vida e académico de Teresa Rita Lopes, organizada pela FMVG por altura do 2.º Festival Literário Internacional de Querença, 2017, poderá ser visitada de 2.ª a 6.ª feira, entre as 9h30 e as 17h00.
    Querença, 3 de Janeiro de 2018
  • Formação em Janeiro

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro inicia o ano com duas formações em artes plásticas. Uma em pintura a aguarela e outra em serigrafia.
    O atelier de Pintura a Aguarela será ministrado por Maria Viegas. A primeira sessão está agendada para o próximo dia 15, segunda-feira, entre as 14h30 e as 17h00 e a segunda para dia 27, sábado, entre as 10h30 e as 13h00. Todo o material necessário à produção de desenho e posterior pintura será facultado gratuitamente.
    Quanto ao atelier de Serigrafia será orientado por Catarina Castel-Branco e Jorge Carvalho e terá lugar no dia 20, sábado, entre as 9h30 e as 17h00. O material para este workshop - papel aguarela 300g, grafite 6b,7b,8b, carvão, lápis de cor, canetas de acetato e acetatos - é da responsabilidade do formando.
    Para ocorrer, ambas as formações dependem de um número mínimo de 12 participantes, maiores de 16 anos e realizar-se-ão no espaço da FMVG.
    Os ateliers são organizados pela Fundação em parceria com a Associação Cívica Tomás Cabreira, Faro.
    Sobre o custo das sessões ou outras informações poderá utilizar os seguintes contactos: assoc.civica.tomazcabreira@gmail.com ou +351 962 910 811.
    Em https://goo.gl/QLvG9B encontrará obras de serigrafia da autoria de Catarina Castel-Branco.
    Querença, 5 de Janeiro de 2018
  • Concerto de guitarra portuguesa na Fundação Manuel Viegas Guerreiro

    Em Janeiro, a Guitarra Portuguesa será rainha em Querença.

    O auditório da Fundação MVG receberá o concerto de apresentação do músico Ricardo J. Martins, cumprindo a programação descentralizada do Cine-Teatro Louletano.

    Natural de S. Brás de Alportel mas a residir em Loulé, é dos poucos guitarristas que compõe. No próximo dia 13, apresentará em Querença o seu segundo disco, instrumental, intitulado Cantos e Lamentos, que inclui composições próprias inspiradas em adaptações de singles como Corre, Corre Corridinho, Danças na Eira, Tocar-te e A Guerra Parte 1 – Amanhecer para Guitarra Portuguesa de Lisboa e Guitarra Portuguesa de Coimbra.

    Ricardo J. Martins já partilhou o palco com nomes da poesia e do teatro como Ângela Pinto, Maria do Céu Guerra, José Fanha ou Irene Flunser Pimentel (Prémio Pessoa 2007). No campo musical, com Marco Rodrigues, Pedro Moutinho, Diamantina, Filipa Cardoso, Isabel de Noronha, Ilda Maria, Ana Sofia Varela e Viviane. Apresentou a sua música em Espanha, França, Bélgica, Holanda, Inglaterra, Alemanha, Luxemburgo, Sérvia, Canadá, Estados Unidos e Cabo Verde.

    Para ouvir em Querença, estão prometidas as raízes da música tradicional, folclore, música clássica e fado, a partir das 21h30 no Auditório da Fundação MVG, numa parceria com o Cine-Teatro Louletano/CML.

    Sons que chegam já à imprensa regional e que pode conferir aqui. Para ler mais sobre esta e outras notícias basta clicar aqui e aceder à newsletter de Janeiro da FMVG. 

    Querença, 4 de Janeiro de 2018 
  • VIAGEM INTERIOR

    No mês do Natal, a newsletter da Fundação Manuel Viegas Guerreiro destaca a homenagem ao arquitecto paisagista Fernando Santos Pessoa, autor do projecto do Jardim Eco-Botânico Manuel Gomes Guerreiro, a construir em Querença.
    Publicamos também uma entrevista a Telma Veríssimo. A fotógrafa algarvia lança este mês o livro Viagem Interior, resultado de um ano de recolha e tratamento fotográfico e editorial. Uma parte da colecção de 67 painéis que integra a exposição itinerante com o mesmo nome. mostra-se na FMVG até ao final do ano. Uma dessas fotografias, que retrata o rescaldo dos incêndios de 2016, faz a capa da newsletter deste mês.
    Entre outras actividades, divulgamos ainda o Dia Internacional das Cidades Educadoras, assinalado no passado dia 30 de Novembro, em Querença, com um mural para mensagens e aplauso de gratidão.
    Boas leituras de fim de ano. A da Newsletter FMVG n.º 8 pode acontecer aqui.
    Querença, 5 de Dezembro de 2017
  • Newsletter FMVG n.º 7 | Novembro

    O mais recente projecto da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, um jardim eco-botânico que invoca o ecologista nascido em Querença, Manuel Gomes Guerreiro, os novos corpos gerentes da Fundação, o balanço de um ano de exposição itinerante Entre Mil Águas: Vida Literária de Casimiro de Brito e outros temas fazem o n.º 7 da newsletter da FMVG, já impressa e que pode solicitar através do endereço: fundação.mvg@gmail.com. Online, poderá consultá-la aqui.

    No próximo número, poderá contar com uma entrevista a Telma Veríssimo, a fotógrafa algarvia que assina a exposição agora patente na Fundação: Viagem Interior. Os primeiros painéis mostraram-se por ocasião do 2.º Festival Literário Internacional de Querença. A segunda parte da exposição pode ser vista de 2.ª a 6.ª feira, entre as 9h30 e as 17h00 no edifício da Biblioteca da Fundação. Só até ao final do ano.

    Querença, 8 de Novembro de 2017

  • "Newsletter" FMVG n.º 6

    A newsletter n.º 6 da FMVG já está disponível aqui e em papel.

    A Hemeroteca Digital do Algarve é tema de destaque no número de Outubro. Trata-se de um dos últimos projectos do Eng.º Luís Guerreiro, anterior presidente da FMVG, aprovado no 1.º Orçamento Participativo de Portugal, já depois do seu falecimento.

    Recordamos que poderá solicitar a newsletter em formato papel através do nosso email: fundação.mvg@gmail.com

    Querença, 5 de Outubro de 2017
  • Hemeroteca Digital do Algarve vencedora no OPP

    O anúncio foi feito esta tarde em Lisboa pela ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques e pela secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca.
    A Hemeroteca Digital do Algarve (HDA) foi candidatada ao Orçamento Participativo Portugal (OPP) pelo cidadão Luís Manuel Mendes Guerreiro e propõe criar uma plataforma digital que disponibilizará todos os jornais e revistas produzidos no Algarve, de 1833 até aos nossos dias, em formato digital e de fácil consulta pública. Foi o projecto algarvio mais votado tendo arrecadado 703 votos. Ficou em sétimo entre os da área da cultura e em décimo primeiro no global.
    A HDA é um dos últimos projectos de Luís Guerreiro, ex-presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, falecido há precisamente um mês.
    Gabriel Guerreiro Gonçalves, presidente interino daquela instituição esteve no Pavilhão do Conhecimento e recebeu a notícia com grande entusiasmo: “O resultado desta votação representa a concretização de uma das últimas vontades de Luís Guerreiro. Por outro lado, representa também o interesse do próprio projecto e o despertar da população para uma área da cultura que tem sido esquecida, a da imprensa. A Hemeroteca vai dar a conhecer a história e a evolução da imprensa no Algarve ao longo de praticamente dois séculos, o que é de toda a relevância para a cultura do país.”  
    Caberá agora à Direcção Regional de Cultura do Algarve alavancar a concretização do sonho do ex-presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, orçado em 200 mil euros.
    Na área da cultura assinala-se somente um outro projecto no Algarve, o da Festa da Nossa Senhora dos Navegantes (Ilha da Culatra). Outros três passaram no OPP, mas no âmbito da ciência e da educação, tendo colhido 884 votos no seu conjunto.
    A execução dos 38 projetos vencedores contará com três milhões de euros, cabimentados na primeira edição do OPP. A votação online nos 601 projectos de âmbito regional e nacional decorreu entre os dias 7 de Junho e 10 de Setembro. Reuniu perto de 80 mil votos.
    Querença, 14 de Setembro de 2017
  • "Newsletter" FMVG n.º 5 «Luís Guerreiro, o "Engenheiro das Letras"»

    Já foi publicada em suporte físico, a newsletter n.º 5 da FMVG Luís Guerreiro, o "Engenheiro das Letras" encontrando-se disponível na sede da Fundação em Querença.
    Várias vozes e publicações recordam e perpetuam o contributo e o legado de Luís Guerreiro.
    A versão digital, publicada na noite de 4 de Setembro, que seria a do seu 57.º aniversário, está alojada aqui.
    A Fundação agradece a todos quantos participaram na publicação, estendendo também o mesmo apreço a todos aqueles que, por outras vias, acarinham e continuam a homenagear o trabalho do Eng.º Luís Guerreiro.
  • Concerto de Tributo a Luís Guerreiro

    [actualizada]
    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Orquestra Clássica do Sul homenagearam Luís Manuel Mendes Guerreiro, seu falecido presidente, através de um concerto em Querença no passado dia 18 de Agosto.
    O maestro titular Rui Pinheiro, conduziu o espectáculo sob a batuta de “Portugal, a Terra e o Mar”. O repertório incluiu obras de Cherubini (Hospedaria Portuguesa), Honegger (Pastoral de Verão), Mendelssohn (As Grutas de Fingal), Tomás de Lima (3 cenas Algarvias) e Freitas Branco (Fandango).
    O Município de Loulé também se juntou à evocação da memória de um dos seus colaboradores. Luís Guerreiro desenvolveu três décadas de actividade na Câmara Municipal, tendo passado por áreas tão diversas como a de Saneamento Básico, Turismo e Desenvolvimento Rural, Comunicação e Animação. Foi no entanto no sector da Cultura que mais se destacou, com um forte contributo na construção do saber histórico sobre Loulé e o Algarve.
    O concerto realizaou-se pelas 22H, na Praça da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença, com acesso livre.
    O filme de Tributo ao Eng. Luís Guerreiro poderá se visionado aqui.
    Querença, 25 de Agosto de 2017
  • Faleceu Luís Guerreiro, Presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro.

    Homem da Cultura, foi e sempre será um dos bibliófilos mais respeitados no Algarve, dentro e fora da esfera académica. Considerado dos poucos com tão abrangente conhecimento da história local e regional, fundou o Centro de Estudos Algarvios que receberá o seu nome em sinal de tributo. O CEA passar-se-á a chamar-se Centro de Estudos Algarvios Luís Guerreiro.
    O interesse pela história tornou-o guardador de mais de dois mil livros, recolha que permitiu fixar em 1833 o início da imprensa periódica regional algarvia. É também seu legado o projecto da Hemeroteca Digital, plataforma que pretende alojar todos os periódicos publicados no Algarve. O projecto foi incluído este ano no Orçamento Participativo de Portugal.
    O FLIQ-Festival Literário Internacional de Querença foi um dos seus grandes projectos nos últimos dois anos. O evento que celebra a cultura sem restrições nem fronteiras, geográficas ou mentais foi pensado pelo “engenheiro das letras” numa altura em que já estava doente. A inspiração e o empenhamento na preparação do FLIQ representaram uma importante força motriz no combate ao mal que o afligia e que nunca o impediu de projectar novas iniciativas.
    Nascido em 1960, na aldeia que ajudou a consolidar como pólo cultural, frequentou a escola nos Corcitos, a três quilómetros de casa. Cresceu a ouvir o pai e o tio a contar estórias à lareira. Licenciou-se em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico (1981-1986), tendo integrado a equipa do Município de Loulé, recém-licenciado e de regresso ao Algarve.
    Começou no sector de Saneamento Básico, mais tarde foi responsável pelo Gabinete de Turismo e Desenvolvimento Rural, altura em que foi nomeado adjunto do então presidente da Câmara Municipal de Loulé, Joaquim Vairinhos. No exercício destas funções coordenou, por delegação do presidente, uma vasta actividade no domínio da Cultura.
    Foi ainda Chefe do Gabinete de Apoio ao Presidente (1997/99), Coordenador do Gabinete de Imprensa (1994 a 2002), Chefe de Divisão de Turismo, Desenvolvimento e Animação (1999/2004), Chefe de Divisão de Cultura (2004/2013) e Coordenador do Gabinete de Eventos, Comunicação e Imagem (2013 até ao presente).
    Paralelamente, desempenhou diversas actividades em associações socioculturais. Integrou a Comissão Instaladora da Fundação António Aleixo, foi cooperador e presidente da Assembleia Geral da CEUPA – Cooperativa de Ensino Universitário do Algarve, membro da direcção do Círculo Teixeira Gomes e Coordenador Técnico da Candidatura de Sagres a Património da Humanidade. Foi igualmente director, responsável editorial e colaborador assíduo do Jornal “A Voz de Loulé”.
    Percorreu de forma sagaz os corredores de bibliotecas e arquivos. Fundou uma livraria e apresentou livros. Participou em inúmeras palestras e tertúlias, deu formação, comissariou exposições.
    Investigador da História regional e local, participou em diversos encontros e congressos e publicou inúmeros trabalhos, com destaque para Bibliografia do Concelho de Loulé (em coautoria com João Sabóia), Loulé no ano da Revolução (XX Aniversário do 25 de Abril) ou Duarte Pacheco – O Edificador.
    A sua memória será sempre presente e o agradecimento eterno pelo precioso, profundo e inquestionável contributo de Luís Guerreiro à Fundação Manuel Viegas Guerreiro, a Querença, ao Algarve e à Cultura. A Fundação deixa a garantia de que tudo fará para prosseguir os fins e a visão estratégica que o seu Presidente lhe soube imprimir.
    A Fundação apresenta aos seus familiares os mais sinceros sentimentos. Um sentido abraço à esposa, Cristina Guerreiro e aos dois filhos, Catarina e Gonçalo.
    Querença, 15 de Agosto, 2017
  • Faleceu Luís Guerreiro

    Faleceu Luís Guerreiro, presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, da qual foi activo impulsionador e dinamizador.
    Homem da Cultura, Luís Guerreiro nasceu em Querença. Faleceu aos 56 anos de idade vítima de doença prolongada.
    A Fundação apresenta aos seus familiares os mais sinceros sentimentos. Um sentido abraço à esposa, Cristina Guerreiro e aos dois filhos, Catarina e Gonçalo.
    Querença, 14 de Agosto de 2017
     
  • 4.ª edição da "newsletter" da FMVG

    Já está disponível a 4.ª edição da newsletter da Fundação Manuel Viegas Guerreiro.
    A criação de um Museu de Imprensa no Algarve, a publicação da Obra Completa de Casimiro de Brito com a chancela da Imprensa Nacional-Casa da Moeda e a presença da Fundação na imprensa são alguns dos temas que integram o alinhamento da Newsletter MVG de Agosto e que poderá ler aqui.
    Bom Verão. Boas leituras.
    Se não leu a Newsletter n.º 3, pode encontrá-la aqui.
  • Fundação MVG na Imprensa

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro orgulha-se de ter cativado o espaço da imprensa nacional e regional ao longo do mês de Julho.
    O seu presidente, Luís Guerreiro gerou três páginas no P2, Caderno do Público, como um dos “Sete Historiadores Amadores”, nome de um dossier temático encartado no jornal diário. Idálio Revez assina a  peça que inclui, entre vários testemunhos, um texto da escritora Lídia Jorge.
    Na revista Visão, a Fundação é indicada como ponto de visita em Querença, integrando assim o roteiro estival da publicação.
    A realização do Colóquio “Pentateuco: Comemoração dos 530 anos de livro impresso em Portugal” mereceu publicação no Correio da Manhã e no Barlavento, em suporte papel e digital. Surge profusamente no online. Sul Informação, Região Sul, Algarve Primeiro, Mais Algarve e Planeta Algarve são só alguns dos sites onde se pode ler a notícia sobre o anúncio do Museu de Imprensa no Algarve e o alegado furto do Pentateuco da cidade de Faro, hoje preservado no British Museum.
    A candidatura da Hemeroteca Digital do Algarve ao Orçamento Participativo de Portugal também captou a atenção do Sul Informação que divulgou a natureza do projecto e divulgou o modo de votação, a decorrer até 15 de Setembro.
    Esta e outras notícias da FMVG na Newsletter n.º 4
  • TERESA RITA LOPES: Uma Paisagem de Mim

    Está patente na Biblioteca da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, a exposição que homenageia a cidadã de causas e militâncias, a escritora algarvia e professora universitária, referência internacional no estudo da obra de Fernando Pessoa.
    O percurso pela sua vida faz-se através de 15 vitrines, dezenas de retratos e cartazes. Poemas e documentos narram as suas três cidades natais: Cacela, Lisboa e Paris. Contam os seus regressos e metamorfoses. Pode ler-se num excerto dos seus poemas:
    “Cá estou de novo no meu segundo berço. Volto às vezes ao primeiro
    e também ao terceiro
                                    à procura dos baguinhos de milho que por lá
    espalhei..."
    Os painéis dedicados à sua infância no Algarve, à juventude estudantil em Lisboa, ao exílio em Paris, e ao inquestionável contributo no estudo e divulgação da obra pessoana - garante da pertença nacional da arca de Fernando Pessoa – transportam-nos pela simples e grandiosa escrita poética, dramatúrgica e ensaística que qualifica a autora.
    A sua tese de doutoramento apresentada à Université de la Sorbonne Nouvelle em 1975, Fernando Pessoa et le Drame Symboliste: héritage et création, é uma das peças que poderá conhecer, a par com outros títulos mais recentes como Os Dedos os Dias as Palavras (1987), Por Assim Dizer (1994), Cicatriz (1996, Prémio Eça de Queirós) e O Sul dos meus Sonhos (2009).
    Destaque ainda para a recriação da fachada de uma casa algarvia na biblioteca que acolhe a mostra e para uma vitrina que expõe, num pequeno manto de areia da praia, molduras elaboradas pela autora e versos que espelham a influência do mar na sua vida.
    Percorrer o caminho da exposição é assim uma oportunidade para descobrir ou aprofundar o conhecimento sobre a produção literária de Teresa Rita Lopes.
    “Falar desta homenagem atrapalha-me imenso porque apesar de toda a minha vida me interessar e escrever teatro não sou de me pôr no palco, mas fico muito sensibilizada. Muito obrigada por se terem lembrado!”, disse a propósito da homenagem por altura do Festival Literário Internacional de Querença, a 13 de Maio.
    Este caminho para um melhor conhecimento das qualidades de Teresa Rita Lopes, humanas e intelectuais, pode ser percorrido até dia 12 de Setembro, entre as 9h30 e as 17h00.

     

     

  • PO Algarve 2020 divulga abertura de avisos para micro e pequenas empresas em Querença

    Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e Emprego (SI2E), do Programa Operacional Regional CRESC ALGARVE 2020, apresentado no passado dia 31 de Maio, no Auditório da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença, Loulé.

    A sessão surgiu na sequência da abertura dos Avisos de Concurso do SI2E no Algarve e contou com a participação do Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza.

    O SI2E, regulamentado pela Portaria n.º 105/2017 de 10 Março, visa apoiar projectos de criação, expansão ou modernização de micro e pequenas empresas com criação líquida de emprego, através do financiamento de postos de trabalho e das despesas de investimento. No Algarve, será gerido pelos Grupos de Acção Local (GAL), quando se tratem de projetos com um investimento elegível até 100.000 Euros.

    A apresentação pública contou ainda com as presenças do presidente da Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional CRESC ALGARVE 2020 e da CCDR Algarve, Francisco Serra, do presidente da Câmara Municipal de Loulé e representante da AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve, Vítor Aleixo, e do vice-presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, Gabriel Gonçalves.

    Durante a sessão, foram divulgadas as especificidades dos vários avisos com a participação dos representantes dos Grupos de Ação Local: GAL Rural – Interior do Algarve Central (Associação In Loco, Nélson Domingues), GAL Urbano Silves 2020, GAL Urbano Lagos Cidade 2020 e GAL Rural Adere 2020 (Associação Vicentina, Aura Fraga), GAL Urbano Faro 2020 (Fundação António da Silva Leal, César Augusto), GAL Costeiro – Sotavento do Algarve (Município de Olhão, Edgar Domingos), GAL Costeiro – Pesca do Barlaventodo Algarve (Agência de Desenvolvimento do Barlavento, José Moura Bastos), GAL Urbano Tavira 2020 (Fundação Irene Rolo, Noémia Neves) e GAL Rural Baixo Guadiana 2020 (Associação Terras do Baixo Guadiana, Ricardo Bernardino).

    No encontro participaram técnicos das entidades envolvidas, empresários e potenciais interessados na apresentação de candidaturas.

    Mais detalhes sobre a sessão e a lista actualizada dos avisos abertos no PO ALGARVE 2020 disponíveis para consulta emhttp://algarve2020.pt/info/avisos


  • CCDR divulga incentivos ao empreendedorismo na Fundação Manuel Viegas Guerreiro

    A iniciativa, promovida pelo CRESC Algarve 2020, contará com a presença de Nélson de Souza, secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão e dos Grupos de Ação Local (GAL) do Algarve.

    “O papel relevante das micro e pequenas empresas para a criação de valor e emprego, e para a diversificação e qualificação das bases empresariais, de forma particular em territórios de baixa densidade ou com constrangimentos decorrentes de elevados níveis de desemprego, aconselha a diversificação da oferta dos apoios ao empreendedorismo e à criação de emprego e esteve na base da criação do SI2E”, avança a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve.

    Pela natureza dos objetivos que prossegue, o SI2E “ganhará eficácia acrescida se for aplicado de forma mais ajustada e próxima dos territórios em que quer promover o investimento empresarial. Foi essa a motivação para a instituição inovadora, em termos de prática de operacionalização de sistemas de incentivos, de uma gestão partilhada com os agentes que estão mais próximos dos seus utilizadores”.

    O SI2E será gerido em grande medida pelos GAL’s, quando os incentivos resultarem de estratégias de Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC), que contam com o apoio e colaboração da CCDR Algarve. Alinhado com os objetivos das políticas públicas interrelacionadas, desde logo com o Programa Nacional para a Coesão Territorial, aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 72/ 2016, de 24 de Novembro, não se aplica somente aos territórios de baixa densidade: “O SI2E favorece, através de majorações específicas, os investimentos nelas realizados e sobretudo cria condições para uma maior dinâmica empresarial ao ajustar tipologias de projetos às condições reais das micro e pequenas empresas do interior”, conclui a entidade promotora da iniciativa a decorrer hoje em Querença.

    31 de Maio de 2017

  • PRESIDENTE DA FMVG DISTINGUIDO PELO ROTARY CLUBE DE LOULÉ

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro congratula-se por assinalar que a competência e a dedicação de Luís Guerreiro mereceram o reconhecimento dos rotários louletanos, através da atribuição da Homenagem a um Profissional do Concelho de Loulé.
    O Rotary Clube de Loulé destaca “o importante contributo que durante muitos anos tem dado de forma empenhada ao conhecimento da realidade cultural, histórica e social deste concelho.”
    Homenagem que acontecerá na forma de um jantar entre rotários, familiares e amigos do presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, no Hotel Tivoli Marina, em Vilamoura, na próxima segunda-feira, dia 16.
  • Exposição de Casimiro de Brito começa Volta ao Algarve

     

    Loulé, 06 de Janeiro de 2017

     

    Exposição de Casimiro de Brito começa Volta ao Algarve 
     
    A exposição que homenageia o poeta algarvio, com raízes em Querença, deixa a Fundação Manuel Viegas Guerreiro para ir ao encontro do público, dos leitores.
    A versão itinerante Entre Mil Águas: Vida Literária de Casimiro de Brito, prepara-se para inaugurar na véspera do nascimento do autor, a 13 de Janeiro, no Arquivo Histórico de Albufeira, onde poderá ser visitada até dia 2 de Fevereiro. A mostra seguirá depois para a Biblioteca Municipal de Loulé, percorrendo outras bibliotecas e espaços expositivos do Algarve ao longo do ano de 2017.
    Com cerca de 70 livros publicados e obra traduzida em 30 línguas, entre elas árabe, hebreu, corso, holandês, sueco, polaco, esloveno, servocroata, grego, romeno, búlgaro, húngaro, russo, chinês e japonês, Casimiro de Brito é hoje um homem do mundo: “Eu quero ser isso.” Assim decidiu ainda menino, sentado no colo de António Aleixo que, na tasca do pai de Casimiro, dizia a quadra do dia. “O Aleixo tinha a música, a sabedoria e a crítica social. O que faço é o resultado da audição aliada à necessidade de dizer coisas que foram sempre ditas, mas de modo diferente. Daí os meus 70 livros.”
    Do reconhecimento da diversidade, qualidade e originalidade da poesia de Casimiro de Brito, que tem vindo a alcançar as mais elevadas distinções em Portugal e no estrangeiro, estando representado em mais de 200 antologias internacionais, nasceu a vontade da Fundação Manuel Viegas Guerreiro de homenagear o filho da terra. Foi o que aconteceu durante a 1.ª edição do FLIQ, o Festival Literário Internacional de Querença, que decorreu no ano passado ao longo de três dias.
    Uma surpresa para o poeta, que não ficou indiferente ao convite: “Sempre ouvi a minha mãe falar desse menino genial que era Manuel Viegas Guerreiro, seu colega de escola primária, mas não imaginava que dezenas de anos depois iria encontrar a expressão materializada desse tal colega de quando ela tinha 10 anos, uma menina... é curioso! A vida está cheia de curiosidades e de subtilezas. Como é que uma pessoa depois de tantos anos de vida, de tanto conhecimento, de tantos continentes, de tantas línguas, de tanta filosofia, vai cair numa coisa que está ligada à sua infância. Isto é um mistério absoluto. É um mistério absoluto!”
    Por entre mistérios descobre-se agora um novo olhar sobre a obra do poeta, através de vários painéis e de um filme que integram Entre Mil Águas: Vida Literária de Casimiro de Brito. A exposição itinerante é comissariada por Patrícia de Jesus Palma, que lança o desafio da divulgação a todos os municípios num convite expresso aos jovens: “As bibliotecas são um excelente ponto de encontro para leitores com perfis muito distintos e um espaço que os estudantes elegem para estudar. Por isso, pensámo-las como espaço ideal para a divulgação da obra de Casimiro de Brito. Mas a exposição também poderá ser acolhida por escolas, associações culturais ou outros espaços expositivos, basta que manifestem esse interesse através do site da Fundação Manuel Viegas Guerreiro.” 
    Patrícia de Jesus Palma é investigadora do CHAM (Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa e colaboradora da Fundação Manuel Viegas Guerreiro. 
  • Assinatura de Protocolo entre a Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Fundação António Aleixo

    A cerimónia de assinatura de Protocolo de Cooperação Institucional entre a Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Fundação António Aleixo, que decorreu ontem na sede da primeira, em Querença, foi um momento bonito. «A vida é uma coisa bonita», disse o neto do Poeta, Vítor Aleixo. E surpreendente.
    Foi-o pelo que significou de reconhecimento mútuo entre entidades que visam servir a comunidade, representadas pelos seus presidentes, Luis Guerreiro e Vítor Manuel Murta Marcos, que se entendem como instituições altruístas, prestadoras de serviços, visando contribuir para o desenvolvimento regional e concelhio nos domínios social, cultural, educativo, artístico e científico, colocando os seus meios técnicos e humanos ao serviço uma da outra, com vista à concretização de um objectivo comum: o conhecimento e valorização da obra do Poeta António Aleixo.
    Foi-o pela presença de familiares e amigos que nos honraram com a sua participação, entre os quais, o filho de António Aleixo, Vítor Manuel Martins Aleixo, há muito radicado em França.
    Foi-o pela revelação de documentos escritos e audiovisuais desconhecidos da maioria.
    Foi-o pelo convívio.
    Foi-o, enfim, pelo pôr em comum de um património que a todos responsabiliza e desafia.
    Aqui fica uma breve reportagem fotográfica. Cortesia de Mira (CMLLE)

  • Assinatura de Protocolo entre a Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Fundação António Aleixo

     

    Realizar-se-á no próximo dia 16 de Novembro, pelas 18h00 a cerimónia de assinatura do Protocolo entre a Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Fundação António Aleixo, no auditório da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença.
    Este Protocolo tem como objetivo desenvolver a inventariação, estudo e divulgação da obra do Poeta António Aleixo.
    Na mesma ocasião, será apresentado o documentário sobre António Aleixo, realizado pela RTP.

     

  • EXPOSIÇÃO ENTRE MIL ÁGUAS: VIDA LITERÁRIA DE CASIMIRO DE BRITO

  • 1.ª Edição do Festival Literário de Querença

    Nos próximos dias 5, 6 e 7 de Agosto, numa iniciativa da Fundação Manuel Viegas Guerreiro com a colaboração de várias outras instituições e pessoas, a aldeia de Querença, no Concelho de Loulé, localizada a 20 Km do litoral (Vilamoura, Vale de Lobo, Quinta do Lago e um pouco mais de Faro), proporcionará um ambiente poético de cariz ibérico. Serão três dias de poesia, arte, animação cultural, petiscos e tapas, apresentação de livros, mercadinhos de poesia, com a presença de escritores nacionais e estrangeiros. Será um ENCONTRO IBÉRICO DE POESIA.

    O primeiro dia será dedicado aos Poetas Andaluzes, o segundo será uma homenagem ao poeta Casimiro de Brito, de origem algarvia e raízes em Querença, com uma vasta obra publicada e traduzida em mais de trinta línguas, e o Domingo será dedicado aos Poetas Algarvios – os de berço ou de coração.

    O objectivo principal é o de celebrar a PALAVRA em todas as suas formas - dita, lembrada, escrita, cantada, subvertida, dançada, repetida, encenada, discutida… e os seus protagonistas.

    Palavra puxa palavra e a aldeia de Querença será raiz e sombra para um diálogo contínuo animado por todas as vozes que aqui se reunirão. Junte a sua!

     

    O Presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro,

    Eng.º Luís Guerreiro

  • Investigadores da Ualg ajudam a colocar online textos do Romanceiro Português

    "Os textos do Romanceiro português e os respetivos registos sonoros, quando conservados, vão passar a estar disponíveis online e em acesso livre na plataforma «Romanceiro.pt»."

     

    Ler Mais 

  • Exposição de Fotografia «África minha- trilhos Africanos»

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro vem por este meio
    convidá-lo(a) a estar presente na abertura da Exposição
    de Fotografia «Africa Minha -Trilhos Africanos» de Manuel Viegas Guerreiro, que irá ocorrer no
    dia 1 de Fevereiro, na Biblioteca da Fundação, em Querença.
    A exposição irá estar patente de 1 de Fevereiro a 31 de Março, podendo ser
    visitada de Segunda a Sexta das 10H00 as 17H00. 

  • Festa das Chouriças - Querença

    Querença recebe a tradicional Festa das Chouriças, em honra de São Luis, protetor dos animais, naquele que é um dos principais eventos gastronómicos da região algarvia.

    Ler mais 

  • Entre Arquivos

    Conhece o projecto "Fins de tarde com a Antropologia. Conversas sobre arquivos etnográficos", realizado em Lisboa? As organizadoras estarão em Querença (Loulé) para falar desta iniciativa. 
    Participe nesta sessão do Entre Arquivos, dia 30 de Janeiro, pelas 15h00, na Fundação Manuel Viegas Guerreiro.

  • Exposição de Pintura Alfredo da Conceição

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro vem por este meio
    convidá-lo(a) a estar presente na abertura da Exposição
    de Pintura de Alfredo da Conceição, que irá ocorrer no
    dia 24 de Outubro, Sábado, às 16H00, na Biblioteca da
    Fundação, em Querença.
    A exposição irá estar patente de 24 de Outubro a 31 de Dezembro, podendo ser
    visitada de Segunda a Sexta das 10H00 as 17H00.

  • Evento " Andanças & Cantorias"

    Dia 12 de Setembro de 2015 pelas 19:30h, a Fundação Manuel Viegas Guerreiro, recebe o evento "Andanças & Cantorias".

    O evento conta com a participação de Afonso Dias e Teresa da Silva. 

  • Exposição "O Poeta Aleixo visto por artistas Plásticos"

    A exposição "O Poeta Aleixo visto por artistas Plásticos", será inaugurada no proximo dia 1 de Agosto pelas 19h, no edificio sede da Fundação Manuel Viegas Guerreiro. A exposição irá manter-se do dia 1de Agosto a 30 de Setembro, que poderá ser visitada de Segunda a Sexta, das 10H00 ás 17H00.

  • Microsoft - Moving Innovation

    A Microsoft está em constante movimento para desenvolver as tecnologias mais inovadoras e para ficar mais próxima das necessidades das comunidades locais.
    Desta vez, vamos estar em Loulé para apresentar as últimas inovações direccionadas para o setor público e focadas no desenvolvimento da região e das cidades.

    Contamos com a sua presença no próximo Moving Innovation.

    VER CARTAZ

  • Labirintos da Liberdade - Assalto ao Banco da Figueira da Foz

    Dia 26 de Abril, no Auditório da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença, pelas 16 horas, vamos evocar este acontecimento, com a presença do Camilo Mortágua, Luís Benvindo e António Barracosa (Palma Inácio faleceu em 2009) para além de outras pessoas indiretamente envolvidas. Sessão Moderada pelo Jornalista Francisco Piedade. 

  • Documentário "Os Últimos dias da Pide"

    Antestreia do Documentário “ os Últimos dias da pide” do Jornalista da RTP, Jacinto Godinho e Apresentação do livro “ os militares e o 25 de Abril” de Luísa Tiago de Oliveira.

  • Inauguração da Fundação

    Presidente Cavaco Silva na cerimónia de inauguração da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença

    VER VÍDEO